Conselheiro do Corecon analisa índice do custo de vida na Capital
Conselheiro do Corecon analisa índice do custo de vida na Capital - Corecon/SC

O Índice de Custo de Vida, calculado mensalmente pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Udesc, aponta que houve uma queda média de 0,35% no valor dos 319 itens analisados. Essa é a primeira retração neste ano na Capital - a última neste patamar foi registrada em junho do ano passado (-0,45%).
"O recuo de -0,35% evidencia sobretudo a redução dos impactos causados pela greve dos caminhoneiros no mês de maio e pela questão sazonal de preços de alguns alimentos que possuem maior peso no consumo das famílias e consequentemente no índice, por exemplo, a cebola, tomate e da batata inglesa. Além desses fatores é importante salientar que este dado também reflete a continuidade do processo de menor pressão inflacionária sobre a economia brasileira que vem ocorrendo", observa o conselheiro do Corecon, Leonardo Rodrigues.
A redução nos preços em julho foi puxada pelos alimentos in natura (-11,6%), principalmente de hortifruti, como cebola (-34%), tomate (-25%) e batata (-23%). Os itens in natura acumulavam uma alta de quase 18% no primeiro semestre do ano. Mesmo com a forte queda em julho, ainda resta um aumento acumulado de 4,2% em 2018.
"O índice no acumulado dos últimos 12 meses se encontra no patamar de 4,25%. Projeções de mercado (relatório Focu) apontam que para o ano de 2018 o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência para com o sistema de metas de inflação feche em 4,11%, inferior à meta que é de 4,5% para este ano", compara Rodrigues.
A queda média do grupo alimentação, no entanto, esconde a alta em julho de produtos importantes e que já vinham subindo ao longo do primeiro semestre, como o leite (2,94%) e a farinha de trigo (6,22%). Os combustíveis, que tiveram uma redução de quase 2% no mês anterior, voltaram a subir em julho (1,35%).


Confira a íntegra do relatório mensal em http://www.esag.udesc.br/…/id_…/1708/icv_boletim_07_2018.pdf