Corecon-SC lamenta o falecimento do professor e ex-conselheiro Horst Schroeder
Corecon-SC lamenta o falecimento do professor e ex-conselheiro Horst Schroeder - Corecon/SC

Com profundo pesar, o Conselho Regional de Economia (Corecon-SC) lamenta o falecimento ocorrido nesta quinta-feira, 10, do economista Horst Schroeder, ex-conselheiro, ex-delegado em Joinville e atual integrante da Comissão de Educação do Corecon-SC. Horst enfrentava uma doença degenerativa e nesta madrugada, no hospital onde estava internado havia um mês, não resistiu a complicações clínicas. Horst deixa a esposa Nanci e os filhos Gisele, Charles e Michel. O velório será nesta quinta-feira, das 13h às 17h, no Crematório Angelus, em Joinville.

Horst Schoroeder tinha 68 anos. Sempre foi um entusiasta da educação, da economia e das causas de Joinville, onde morava e de onde era natural. Sua vida foi muito ligada à Universidade da Região de Joinville (Univille), onde graduou-se, fez mestrado e em novembro de 1982 ingressou como professor titular da cadeira de Economia Nacional e Internacional.

“O professor Horst sempre foi muito presente nos Encontros Catarinenses de Cursos de Economia, os Ecces”, lembrou a presidente do Corecon-SC, Ivoneti Ramos. “Pelo menos desde que eu assumi a comissão de organização em 2016, ele esteve em todos os momentos presenciais. Além de estar sempre conosco, na Comissão de Educação como membro”, observou Ivoneti. “Independente de ser conselheiro, sempre colaborou com suas palavras. Será nosso eterno conselheiro”, definiu a presidente.

Na Univille, onde completaria 38 anos de dedicação em novembro, Horst foi professor nos cursos de Economia, Administração de Empresas, Comércio Exterior e Ciências Contábeis. “Participou da formação de muitas gerações, marcando a história de nossa Univille com seu importante legado de conhecimento na área socioeconômica”, destacou a universidade em nota de pesar publicada nesta quinta-feira.

Horst também era palestrante, momentos em que apresentava sua visão sobre cenários econômicos; de julho de 1997 a maio de 2002 foi diretor executivo da Associação Empresarial de Joinville (Acij); também foi professor do Senac e conselheiro fundador da Escola de Ballet do Teatro Bolshoi no Brasil. Era um incentivador da cultura de Joinville que vibrava com cada apresentação e com as oportunidade que se abriam aos bailarinos após cada formatura.

“Perdemos um homem culto e íntegro. Morreu Horst Schroeder, um homem preocupado com a história e a preservação de Joinville”, lamentou o jornalista João Francisco da Silva. “Conheci e privei da amizade com Horst. Ele tinha uma inteligência aguda e humor fino”, definiu.

Além disso tudo, Horst também era um apreciador de vinhos que estudava sobre uvas e safras. “E tentava ensinar o que aprendia com a seriedade de um profissional”, recordou a nora Viviane. Professor Horst Schroeder vai deixar saudades e uma lacuna na economia e na educação catarinense.